verificador pinterest Casa, Coisas e Sabores: Março 2010

segunda-feira, 22 de março de 2010

Quibe de forno...de micro-ondas



Essa foi para aproveitar uma carne moída já temperada do dia anterior e um maço de hortelã fresca que eu tinha comprado para fazer sei-lá-o-quê. Comprei só porque estava bonita, barata e gosto do cheiro #impulso.

Usei uma xícara e meia de trigo para quibe. Para hidratar mais depressa, deixe o trigo de molho em água quente (o suficiente para cobrir), em uns 15 min está bom. Escorra o trigo, apertando com as mãos para tirar bem a água e reserve.

O meio quilo de carne moída foi temperada com molho inglês, azeite, cebola, pimenta do reino (ou pimenta síria) e sal, tudo a gosto. A hortelã picada vai a gosto também, coloquei meia xícara, porque gosto de muita.

Depois é só misturar a carne com o trigo, agregando bem, e corrigir o sal, se necessário.

Para o recheio (opcional), usei uma xícara de ricota esfarelada, temperada com sal, orégano e um pouco de molho de pimenta.

Colocar metade da mistura do trigo de quibe em um refratário de vidro médio, apertando bem contra o fundo e deixando a superfície lisa, juntar o recheio e, por cima, colocar a outra metade do trigo com a carne. Se quiser, pode fazer riscos em diagonal na superfície do quibe e colocar um pouco de azeite.

Levar ao micro-ondas por cerca de 10 minutos em potência alta. Fica muito bom, quase igual ao de forno convencional.





O quibe assado fica tão - ou até mais - gostoso quanto a versão frita, é bem mais saudável e menos calórico! Um quibe frito de 100g tem 250 calorias, enquanto uma quadrado de quibe assado com os mesmos 100g possui 190 calorias (informação da revista DietaJá!) :-)

---------------------------------------------------------------

Ainda seguindo a dieta da assistência técnica.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Peso de porta

Essa é uma daquelas besteirinhas de casa que você só lembra que precisa de um quando precisa de um. Na hora do vento que teima em fechar a porta e causar aqueles barulhos dignos de filme de terror, a gente acaba dando um jeitinho qualquer para escorar a danada: cadeira (essa é a campeã da categoria pesos de porta improvisados), saco de arroz, cachorro, impressora velha...

Aqui em casa, uso uma caixa com vinhos (chique? Nada, sobrou do casamento!) para evitar que a porta da cozinha destrua minha linda e novinha geladeira, que fica justo atrás da porta.

A porta da área de serviço volta para o lugar com um (ou vários) chute mesmo. E a porta do quarto, ai dela se não ficar no lugar! Terror psicológico.

Mas essas soluções são meio Tabajara e não ajudam a casa a ficar bonitinha e arrumada.

peso de vinho
Chique, beim!

Nada de comprar pesos para porta prontos, pois isso é para os fracos. Minha ideia é comprar materiais e meter as caras na costura. Ah, esqueci de dizer, não tenho máquina e só sei costurar na mão, falou? Nada muito complexo, please.



Essa versão bem humorada do peso de porta pode ganhar outras carinhas, e acho que rola fazer de feltro, pois é um material mais fácil de trabalhar, principalmente para fazer os detalhes da cara. É só costurar um saquinho (tecido ou feltro), encher de areia (dentro de um saco plástico resistente) e dá-lhe cola quente para colar os detalhes.

Outras opções de enchimento, além da areia, são arroz, areia com enchimento de almofada, sementes...



Para este, é cortar seis quadrados em feltro, juntar os pedaços com costura alinhavada (quem sabe com o alinhavo colorido?) e colar as bolinhas com cola quente. Eu faria a versão clássica mesmo, preto e branco.



Agora ficou mais complexo. Eu faria uma bola e desenharia os gomos com caneta para tecido, ou delinearia os gomos com tiras apertadas saindo do fundo da bola até o topo, dando um ponto de costura no centro do topo para afundar essa parte. Para dar acabamento, feltro e cola quente escondem tudo, menos dinheiro na meia. A abóbora é uma ideia, pode sair uma maçã, uma laranja...

Também vou comprar tecidos para fazer o porta-recados no bastidor. Em breve no blog, passo a passo do porta-recados e do peso de porta. Tende piedade.

-------------------------------------------------------------------

Não encontrei uma solução Polishop para portas que batem. A não ser que eu use um Juicer Walita para escorar a dita cuja.

terça-feira, 16 de março de 2010

Dobrando lençóis de elástico

Questão: Por que sempre que desembalamos alguma coisa e tentamos embalar novamente nunca fica do jeito que veio, pois parece que o troço não cabe mais na embalagem?

Resposta provável: Ao sair da embalagem, o objeto sofre uma reação química em contato com o ar ou as mãos de quem o manipula (ainda não se chegou a uma conclusão) e ganha massa quase que instantaneamente, impedindo que o mesmo volte ao local de origem.

Contive minha vontade de abrir todos os jogos de cama que comprei/ganhei porque fatalmente os lençóis de elástico nunca mais ficariam tão perfeitamente dobrados como vieram da loja. Por mais que eu dobrasse com muita paciência, no final, acabariam virando uma bola que eu entulharia junto com as outras roupas de cama. Melhor não.

Apenas puxei o papelão de dentro da embalagem e troco a roupa de cama a cada um dia e meio para saber como é cada jogo. Roupa para lavar mode on.

lençol
Meu lençol de elástico "dobrado"

Mas, fuçando pela internet, descobri a solução desse problema! Se a vontade estava lá, mas faltava a técnica, esse vídeo ensina como dobrar lençóis de elástico, um dos enigmas do universo, agora decifrado:



Uma técnica trabalhosa que se torna meio inútil para quem não é camareira. Muito provavelmente vou continuar com minhas bolas de lençol, mas é sempre bom saber que é possível guardar o lençol de elástico bem dobradinho. Mas, atenção, essa é para os fortes! E pouco acomodados.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Maravilhoso mundo Polishop

Mesmo com uma cozinha pequenininha, eu seria uma pessoa um pouco menos feliz se não tivesse adquirido algumas parafernálias eletrodomésticas que deixam a vida tão mais Polishop.

I had a dream. Quando eu tivesse uma cozinha para chamar de minha, teria uma megabancada com um Magic Bullet, um Juicer Kitchen Machine Philips Walita, um Turning Food Centre para moer carne e fazer linguiça, e um Vacuum Sealer para fechar alimentos a vácuo.

Ok, não consegui espaço para isso, mas pelo menos consegui pendurar pelos cantos o mixer, o grill, a batedeira planetária (depois de usar a planetária, simplesmente você não aceita mais uma batedeira comum) e a panificadora.


Panificadora
Meu pinguim de geladeira da Britânia

Desses itens, a panificadora é a mais supérflua e, por isso, mais legal. Todo mundo deve achar que uma máquina de fazer pão não pode dar certo. Acredite, dá sim! Vem com um livro de receitas bem variado e utensílios de medida. Seguindo a receita certinho, com as medidas corretas, sai aquele pão bonitão e você pode dizer "eu que fiz"! Ou vai dizer que foi a máquina? Eu não!



Dá para programar a máquina e acordar com cheiro de pão quentinho pela casa (geralmente, as pessoas se convencem com esse argumento).



Enquanto saboreia um pão caseiro quentinho, assista aos dez piores comerciais de televendas. Imagina o sucesso dessa cadeira havaiana no escritório.

----------------------------------------------

Não, nunca quis um AB Toner, passo longe da linha fitness. Estou mais para os modeladores Dr. Rey.

sábado, 13 de março de 2010

Torta de cereais com banana


Fiz essa torta há algum tempo. A receita foi tirada do extinto Bem Família, apresentado por meu muso Daniel Börk. É super fácil de fazer e fica bem diferente e gostosa. A granola ainda garante uma boa dose de fibras. Recomendado para formigas como eu, porque é doce na veia.




A qualidade totalmente excelente das fotos pode ser explicada por uma câmera meia boca de celular e um ambiente escuro. E nunca me controlo para tirar a foto da receita antes de comer, meu estômago em primeiro lugar.



E ainda fica a tática para levar a receita do computador para a cozinha: em tempos de receitas digitais e sem notebook, eu tiro uma foto da receita na tela do computador com o celular (a ideia original foi do marido) e fico colando o passo a passo na hora de fazer. E, como não se imprime ou escreve nada, ainda é ecológico :-)

Atualização em 30/07/2012 - Não achei mais o link do texto, pois esse programa nem existe mais, mas achei o vídeo do dia em que a culinarista foi fazer a receita, com tudo bem explicadinho. Veja AQUI.

-----------------------------------------------------------------

Sim, eu assisto Daniel Börk, Ana Maria Braga e Edu Guedes. E acho que o melhor de tudo é o Louro José.

sexta-feira, 12 de março de 2010

E depois? E depois?



Foto: Spoleto (divulgação)
Você chega na praça de alimentação do shopping, todo pimpão, e se faz a clássica pergunta: onde vou comer?

Após um breve "olhar de Thundera" pelo lugar, eis que você decide por uma massa no Spoleto. Enquanto caminha até o restaurante, sabe que já deve bolar uma estratégia. Planejamento é tudo.

Enquanto espera sua vez na fila, pensa em uma combinação que, dessa vez, vai dar certo. Os ingredientes têm que harmonizar, nenhum sabor pode "brigar" com outro e a massa não pode ficar com gosto de nada ou de tudo. Guia para anotar os ingredientes? Para os fracos.

E chega sua vez, você está diante do chef Spoleto e pronto para criar seu prato de alta gastronomia. Manteiga ou azeite? Azeite, estamos indo bem. Molho? Adoro funghi, mas o vermelho é mais suave, harmoniza mais, vermelho. Ingredientes? Espinafre, amo espinafre. E depois?

Ferrou. Você queria tomate seco, mas olhou para o tomate fresco e falou. E depois? O salmão escapuliu pela boca, e vai ficar uma droga com molho vermelho. Fora que salmão com espinafre? blergh! E depois? Salsinha. Mas já tem salsinha de graça para se servir depois, desperdiçou um ingrediente.

Aí você desiste, já está tudo arruinado mesmo, e transforma sua massa numa salada de entulho sem sentido. E depois? Vem palmito, frango (não já tinha salmão?), azeitona...tudo que gosta. Sempre tem o queijinho ralado depois para salvar. Trocaram o parmesão ralado no pote por queijo ralado de pacotinho? Nãaaaaao!

E depois? Você come o Frankstein que criou e pensa na estratégia da próxima vez. Guia para anotar os ingredientes? Para os fracos.

---------------------------------------------------------

Para os fracos e acomodados como eu, monte seu prato no site do Spoleto, dá para imprimir e levar. O ruim é que dá para ver as calorias também, ui!

Croutons de micro-ondas

Em mais uma aventura com meu companheiro micro-ondas, uma receitinha boba, mas que ajuda a fazer uma graça naquela saladinha sem graça.

É mole, mole, fácil, fácil e rápido fazer croutons no micro-ondas para dar um croc croc na salada. No meu caso, uma salada Caesar de alface lisa mesmo :-)



Peguei duas fatias de um pão de forma que estava querendo ficar duro - mas eu não deixei, humpf -, tirei a casca e cortei em quadradinhos. Depois é só temperar com um bocadinho de azeite e orégano, e levar ao micro por mais ou menos 2 min (potência alta). Que foi? Já acabou!



Para fazer com mais fatias de pão, é legal colocar num recipiente (evitar os de plástico, vidro é melhor) maior, para que os quadradinhos fiquem bem espalhados. De vez em quando, pause o processo e dê uma mexidinha, que também serve para controlar o tempo de micro.

Se eu soubesse que daria tão certo, teria feito em maior quantidade. Depois é só guardar em um pote bem fechado e usar sempre que quiser ;-)

quinta-feira, 11 de março de 2010

Coisa da China

Uma das coisas mais delicadas que já vi nos últimos tempos. Apesar de gostar de chá desde que me entendo de gente (uso para dor de barriga, dor de cabeça, dor da alma...), ainda não tinha ouvido falar da flor de chá.

É um botãozinho de ervas que, quando colocado em infusão na água, desabrocha revelando flores no interior. Já me imagino bebendo o chá de uma linda florzinha que "nasceu" na minha frente :-)

E eu no chá de hibisco, hunf...fraca. Será que tem para vender no Saara, apesar de ser coisa da China?







Flor de chá: Folhas jovens provenientes dos rebentos do arbusto do chá (Camellia Sinensis) que, sem sofrerem qualquer oxidação, são secas e trabalhadas manualmente (segundo arte milenar da província chinesa de Yunnan) de modo a envolverem flores variadas (jasmim, orquídeas, amaranthus, lírio) e a formarem “botões” (info do site www.paladarbeirao.com).

Faça você mesmo: Porta-recados

E quem disse que só de produtos caros-lindos-eu quero da Tok Stok é feita uma decoração? O que difere uma casa de um lar são aqueles pequenos detalhes que dão a sua cara ao espaço, além de transformar o ambiente em algo não apenas bonito, mas funcional. Afinal, ninguém quer morar num mostruário de loja, non è vero?

E se a gente conseguir montar um cantinho super fofo, colorido e útil usando bastidores e tecidos coloridos? Dá para viajar nas estampas e na composição.



Acabei não guardando onde consegui essa foto, se descobrir, coloco o crédito.

Para algo romântico, ataque de tecido de bolinhas, florido ou vichy. Se a ideia é mais cor, estampas geométricas em tons vivos. Depois, é só encaixar o tecido no bastidor, fazer o acabamento (cola quente e corte das rebarbas) e voilà!

Ainda não fiz (assim que fizer, coloco a foto aqui!), mas acredito que um tecido mais encorpado aguenta melhor o peso dos papeis e segura os alfinetes ;-)

PS.: Bastidor é uma armação que se compra em armarinhos, usada como apoio para bordar, tem de vários tamanhos.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Aproveitando o espaço da sala

Apesar de o meu apartamento ser pequeno, ter várias questões que eu resolveria na base do "derruba e faz tudo de novo" (meu ap é alugado), não posso reclamar da sala. Ela é até bem grande e tem um janelão no fundo, o que deixa o espaço claro e bem arejado.

Enquanto espero meu sofá chegar, vou divagando sobre o que fazer. A sala é retangular, comprida, com o janelão no fundo. Quero dividir o espaço em dois ambientes: a sala de estar e a de jantar.

A ideia é deixar o espaço com boa circulação, por isso abri mão de mesinha de centro, quero aproveitar o comprimento do espaço. Para a sala, comprei pufes que farão às vezes de mesinha de canto (mas que servem como assento, se preciso), um rack fino e comprido. Tapetes delimitarão a divisão entre o espaço da sala de estar e de jantar.

Achei na internet algumas fotos que mostram mais o menos o espaço de que disponho e algumas soluções para a sala de estar:



Esta sala já é mais larga que a minha, mas adorei o ambiente claro e a disposição dos elementos.



Detalhe dos tapetes diferentes delimitando os espaços.



Copiarei descaradamente essa sala, pois a disposição dos elementos é bem o que estou pensando. Só achei que faltou um colorido, umas fofurices...nada que não possa ser resolvido!

E quem não tem uma sala pequena (também conhecida como "problema" ou "abacaxi") em casa? Quem não tem, te inveeeejo! ;-)

terça-feira, 9 de março de 2010

Inspiração

Devorando o mundo - Isabel Allende

“Nasci com a boca aberta…
entrando neste mundo suculento
de pêssegos e limões e sol maduro
e esta rosada e secreta carne de mulher;
este mundo onde a ceia está
no hálito do deserto sutil
nas espécies do mar distante
que flutuam no sonho tarde da noite.

Nasci em alguma parte entre
o cérebro e a romã
saboreando as texturas deliciosas
de cabelo e mãos e olhos,
nasci do cozido do coração,
do leito infinito, para caminhar
sobre esta terra infinita.

Quero alimentar-te com as flores de gelo
desta janela de inverno,
dos aromas de muitas sopas,
do perfume de velas sagradas
que por esta casa de cedro me persegue.
Quero alimentar-te com a lavanda
que se desprende de certos poemas,
e da canela de maçãs assando,
e do prazer simples que vemos
no céu quando nos apaixonamos.

Quero alimentar-te com a terra acre
onde colhi alhos,
quero alimentar-te de memórias
surgindo dos troncos de álamo
quando os parto
e da fumaça de pinhões
que se junta em torno da casa em uma noite quieta,
e dos crisântemos na porta da cozinha (…)”

Picadinho de carne de assistência técnica

(Essa não é a foto do meu picadinho, e também não fatiei os funcionários da assistência técnica para essa receita)

O caso é que, desde que casei, há mais de um mês, estou sem fogão, em uma saga ainda sem data para terminar.

O fogão enquanto coisa (presente do meu pai) está lá todo bonitão no quartinho da bagunça, mas o fogão enquanto coisa útil não rolou ainda, porque espero pacientemente - menos paciência amanhã que hoje - a assistência técnica vir com o raio de uma peça para converter o bicho para gás encanado.

Depois da ideia "sobe com um botijão de gás para o ap" descartada, só me sobrou meu companheiro micro-ondas (novas regras ortográficas, baby!). Minha nova diversão é ficar procurando receitas para micro e, confesso, nunca na história desse país imaginei que desse para fazer tanta coisa no bichinho.

Como meu micro não tem grill, obviamente não dá para esperar que saia algo dourado e crocante, mas os cozidos são bem dignos...

Ontem aproveitei uma carne que tinha na geladeira para fazer um picadinho, uma espécie de strogonoff sem creme de leite. Ainda comprei um vidro de champignon para fazer uma graça. Receita para duas porções.

Era mais ou menos 300g de carne (usei alcatra). Temperei com sal, pimenta do reino, alho socado e molho inglês. Levei ao micro-ondas por 5 min em potência alta, dando uma mexidinha na carne na metade do tempo. É importante colocar num recipiente que permita que a carne fique bem espalhada. Depois juntei farinha de trigo (uma colher de chá), o champignon, um pouco de salsinha picada (ambos a gosto), misturei e voltei ao micro por mais 5 min em potência alta, mexendo na metade do tempo. Cada um sabe da força de seu micro, portanto é bom sempre ficar observando a carne para não passar do ponto.

Como acompanhamentos, salada de alface e tomate com azeite e orégano, e arroz na manteiga com ervilha (arroz já cozido, um naco de manteiga e ervilha, tudo no micro-ondas). Tudo isso ficou pronto em uns 20 min.

Jantarzinho honesto, uma singela homenagem à assistência técnica. Só exagerei um pouco na pimenta do reino, falta de costume de fazer comida em tão pouca quantidade.

Da próxima vez, tenho que lembrar de tirar uma foto antes de estraçalhar a comida :-)

---------------------------------
Imagem: sxc.hu

segunda-feira, 8 de março de 2010

E foi dada a largada!

Este blog foi criado para dar asas a uma vontade antiga dessa ex-noiva, agora recém-casada, que passou tantas horas navegando por blogs sobre culinária, noivas, decoração, afins e que aprendeu e pegou tantas dicas preciosas com eles.

Vemos tanta coisa legal pela internet, pelas ruas, pela vida! Aquele truquezinho que só sua mãe sabe... por que não adotar irmãs e irmãos que vão saber e repassar esse segredinho revelado de família? Informação, minha gente, é igual Stilo, ou você tem, ou você não tem. Vale ouro!

Porque eu acredito que, com vários retalhos de informação, é possível fazer uma colcha que sirva direitinho para o frio de cada um, e porque eu quero contribuir com meu retalhinho :-)

A casa é nossa, pode entrar!

Beijos ;-)

Gerar PDF da postagem

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...