verificador pinterest Casa, Coisas e Sabores: Fevereiro 2011

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Macarrão com sálvia


Essa é uma daquelas receitas de preparo simples e de efeito surpreendente. A etapa mais "difícil" do prato é preparar o macarrão - aqui, não vale macarrão instantâneo, o trabalho é pouco pero no mucho.

O tipo de macarrão fica a gosto do freguês, mas, como o molho é bem líquido, as massas longas como o espaguete e o talharim casam melhor. O segredo de se conseguir fazer uma massa no ponto é...fazer! Com a prática, o aprendiz de cozinheiro passa a perceber o tempo exato que a massa deve ficar na fervura para não ficar dura nem cozinhar demais. Até chegar à perfeição, é altamente recomendável testar (comer mesmo um pouco da massa) até achar que o macarrão está firme, mas não duro. O risco é de se perder a fome para o almoço/jantar. Calma nessa hora.

Lembre-se de tirar o macarrão do fogo antes de ficar al dente, pois a massa ainda cozinhará um pouco depois de retirada da panela. É sutil, é tenso.

Uma coisa é certa: macarrão soltinho é aquele cozido em muita água. Os entendidos recomendam ferver 1 litro de água para cada 100g de massa. São 5 litros de água para um pacote de macarrão de 500g. Oi? Seguindo ou não piamente essa dica, tire sua conclusão.

Também sou adepta de colocar um fio de óleo e sal após a água ferver e antes de jogar o macarrão na panela, assim como escorro a massa debaixo da torneira de água fria. Certo, errado? Assim como Chicó, só sei que foi assim.

Atualização em 30.10.13: clique AQUI e veja todas as dicas de como preparar macarrão do jeito correto. Depois de algum tempo a gente acaba aprendendo uma coisa ou outra :)

O primeiro passo da receita é cozinhar o macarrão. Fiz 250g de espaguete, que alimentou bem duas pessoas famintas. Reserve a massa cozida.

Em uma panela, em fogo médio, junte 3/4 de xícara de azeite do bom, 1 colher de sopa de margarina e 1 xícara de folhas frescas de sálvia. Eu não tinha tudo isso de sálvia, coloquei o que eu tinha e ficou bem bom. "Frite" a sálvia no óleo por cerca de 1 min, 1 min e meio, até perceber que as folhas estão desidratadas, mas antes que elas escureçam. Não tire o olho da panela, as folhas estão lá verdinhas, bonitonas, você pisca e elas já começaram a escurecer. Quase queimei as minhas.

Abaixe o fogo e junte à panela o macarrão cozido, incorporando bem o molho à massa. Sim, está pronto. O sabor fica incrível.


Para acompanhar, salada de rúcula e tomate (Débora, que além de ser ótima para molhos, é ótima para saladas também) temperada com manjericão fresco e um pouco de azeite. Abaixo o sal nas saladas, não precisa.

----------------------------------------------------------

A receita original do macarrão com sálvia - que é para 500g de massa - está aqui, junto com outras receitas de molhos práticos de se fazer.

Os entendidos dizem que 100g de massa é a quantidade suficiente para 1 pessoa, logo um pacote de macarrão de 500g servem 5 cabeças. Os entendidos não devem conhecer algumas pessoas que eu conheço.



quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Decorando com tecido


Super simples e bem bolada essa ideia de decoração com tecido. Compre um tecido resistente e com padronagem a seu gosto - que tal um chitão bem colorido? Além de ser uma estampa alegre e colorida, o preço é bem acessível - e use-o para fazer um quadro, que nada mais é que o tecido aplicado (cola para tecido resolve essa parte) em uma moldura com vidro.

Aproveite o restante do corte de tecido para fazer porta-travesseiros ou mesmo almofadinhas coordenados. Dependendo da estampa escolhida, essa ideia de decoração pode criar uma sala tropical, um quarto relaxante ou um quarto de criança super divertido!

--------------------------------------------------

No Rio de Janeiro, a loja que conheço com mais variedade de tecidos e aviamentos é a Casa Pinto, que tem quatro lojas no Saara. Tem ótimos preços também.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Peixe escondidinho

Se você acha que o escondidinho só pode levar carne seca, no máximo uma carne moída, saiba que dá para esconder muita coisa. Seja embaixo de um "lençol" de aipim (mandioca ou macaxeira, dependendo da região), abóbora ou variados tipos de batata, o importante é ter um purê bem cremoso e amanteigado sobre uma carne bem temperada.

Não que meu purê tenha ficado muito cremoso, mas o peixe estava bem temperado. Peixe? Isso mesmo!

A receita original fala de um peixe ao forno com batata, mas, cá entre nós, fica peixe escondidinho, vai!

Falando de quantidades, fiz 3 filés de peixe médios com 3 batatas médias.

Coloque um pouco de azeite no fundo da travessa e disponha filés de peixe. Usei filé de Saint Peter, pelo único e exclusivo motivo de que era o peixe que eu tinha. Tempere os filés a gosto. Eu coloquei sal, pimenta do reino, alecrim fresco e suco de limão.

Por cima, coloque o purê de batata comum, previamente preparado como você costuma fazer: batatas amassadas levadas ao fogo com leite, manteiga, sal. O meu também levou pimenta do reino.


Leve ao forno médio por 15 a 20 min. Se eu tivesse parmesão ralado, teria colocado um pouco para gratinar. Não tinha queijo, o peixe desceu assim mesmo. E desceu muito bonito.

---------------------------------------

A receita original é esta aqui. As fotos estão mais bonitas, pois a autora tem a função grill no seu forno, o que deixou a cobertura de batata bem apetitosa.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Uma larica, um manifesto


O que faz um barbado solteirão de cabelos despenteados, em uma cozinha mal equipada, com um pacote de macarrão instantâneo na mão? Cozinha de guerrilha!

Em uma sátira bem bolada dos programas de culinária, o programa Larica Total traz o ator Paulo Tiefenthaler interpretando Paulo de Oliveira, carioca que ensina o passo-a-passo de iguarias como sushi de feijoada e bolinho de macarrão instantâneo na cozinha de seu apartamento em Santa Tereza, em meio à pia cheia de louça e quase sempre trajando short e chinelo.

Com uma história para contar, uma faca que serve para cortar qualquer coisa e muito "xablablau", Paulo vai de uma ode ao macarrão instantâneo ao churrasquinho na minivaranda do apartamento. Mais do que isso é frescura.

Os episódios hilários do Larica Total já renderam duas temporadas completas no Canal Brasil, com a perspectiva de uma terceira temporada depois das férias dos "guerrilheiros". Nesse "descanso", Paulo e equipe preparam os DVDs das temporadas já exibidas e um livro de receitas, que está aceitando contribuições de guerrilheiros e guerrilheiras aqui.

Para quem não tem Canal Brasil, os episódios do Larica Total estão no You Tube. Cozinha de verdade. Imperdível.

Atualização: os vídeos do programa estão disponíveis agora no site do Canal Brasil.

------------------------------------------

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Alho: ame-o ou deixe-o (como preparar)

Sem dúvidas, um dos meus temperos prediletos é o alho. De sabor forte e levemente picante, é preciso tomar cuidado ao usá-lo, para que não passe de coadjuvante a prato principal, convertendo todas as suas receitas a alguma coisa ao alho.

Companhia indispensável ao arroz branco, filés de carne e frango, e dando aquele sabor especial na massa ao alho e óleo, nosso relacionamento tinha seus baixos. Nas preliminares, era agressão gratuita: e dá-lhe marretada no dente de alho para poder soltar a casca!

Mas tudo o que vai, volta. O tapa com luva de pelica de meu amado alho vinha em forma de um horrível cheiro nas mãos e aquele sabor na boca que te deixava o resto da semana na nostalgia da pizza de alho do sábado.

Depois de uma informação ali na internet, outra por ali na televisão, desenvolvi um procedimento completo para se lidar com o alho, à prova de rixas e que me deixou em paz com meu estimado tempero.

Problema 1: Para descascar o alho, meu primeiro macete era socá-lo com alguma coisa. OK, a casca saía rápido, mas, em compensação, o alho sobrevivente servia para pouca coisa além de ser utilizado já amassado.

Solução: Coloque o(s) dente(s) de alho no micro-ondas por alguns segundos (é coisa rápida mesmo, 5 a 15 segundos, dependendo da quantidade). Depois de retirado do micro, ainda morno, a casca praticamente pula fora do dente de alho.

Problema 2: Alho é uma delícia, dá sabor nos pratos do dia-a-dia e, frito, é um acompanhamento fantástico. Mas o bafo depois - mesmo com 100 escovações e enxaguante bucal - é difícil de aturar.

Solução: Corte os dentes de alho no meio, na longitudinal, e retire o "miolo" mais esbranquiçado que se encontra no centro de cada metade, usando uma faquinha de ponta. Fazer isso com cada dente é sacal, mas o resultado compensa, pois o sabor fica mais suave e o alho praticamente não deixa gosto na boca depois.

Problema 3: Você descascou o alho facilmente, tirou o miolinho, picou, amassou. Para fazer isso, você teve que meter a mão na massa, certo? Se você não é Ana Maria Braga e não usa luvinhas de látex (se aquele troço derrete na sua mão, minha gente?), deve ter ficado com um cheiro horroroso de alho nas mãos.

Solução: Terminado seu trabalho - afinal, alguém tem que fazer o trabalho sujo -, lave as mãos com água e sabão, e depois esfregue-as em uma superfície de aço inox, que pode ser uma travessa, uma panela, um bowl. Só não vale na faca, hein! Preserve seus dedinhos. O que acontece depois é coisa linda de Deus. O cheiro desaparece!

--------------------------------------------------------

Agradecimentos especiais ao marido, o primeiro a testar e aprovar o alho no micro-ondas.

Agradecimentos à Ana Maria Braga, que mostrou a sacada de tirar o miolinho do alho. Testado e aprovado aqui em casa.

A dica do aço inox serve para retirar outros cheiros desagradáveis das mãos. Alguns lugares vendem um "sabonete de aço", uma bola de aço inox que promete eliminar odores das mãos.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Frango com molho de laranja


A ideia era aproveitar duas laranjas que estavam na geladeira querendo ficar murchas, solitárias demais para virarem suco de laranja. Também havia a ideia de finalmente usar um peito de frango que estava duro feito pedra no congelador, sempre à espera de que um dia eu me lembrasse de descongelá-lo algumas horas antes de começar a fazer o jantar, e não na hora de preparar o jantar.

Depois de pesquisar algumas receitas de frango com molho de laranja na internet e escolher uma delas, resolvi fazer do jeito que eu achasse melhor, com o que eu tivesse na geladeira. Por minha conta e risco. Seguir receita e evitar riscos são para o fracos.

Não tenho paciência para marinar nada. Qualquer receita que tenha um pré-preparo (marinadas, massas que descansam) ou um pós-preparo (oito horas de geladeira) fica carinhosamente guardada em meus arquivos reais ou digitais, para um dia muito zen ou muito louco.

Posto isso, não marinei frango nenhum em suco de laranja. Em vez disso, peguei filés de peito de frango, temperei com a trindade sal-pimenta do reino-molho inglês e passei na frigideira com um pouco de manteiga, até ficarem bem dourados.

Abre parênteses. Antes, eu tinha fritado um pouco de alho bem picadinho na citada manteiga, para temperar uma salada de tomate. Fecha parênteses.

Reservei os filés de frango e, na mesma frigideira, coloquei o suco das duas laranjas (se eu tivesse mais, acho que teria colocado), temperei com um pouco de sal e pimenta rosa em grãos. Deixei o suco reduzir um pouco. Abaixei o fogo, coloquei algumas boas colheradas de creme de leite, dei uma misturadinha e desliguei o fogo. O creme de leite - por graça divina, eu acho - não talhou.

Abre parênteses. Usei creme de leite em lata, sem soro, que fica bem mais consistente e - cá para nós - é mais gostoso que a versão em caixa. Fecha parênteses.

Esparrame esse molho em cima dos filés de frango, deixe de frescura sobre misturar frutas em pratos salgados e seja feliz.

-----------------------------------------------------

Servi o frango com arroz branco e uma salada com tomate, alho bem picado frito e azeite. E só. Delícia.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Marque a data na embalagem do presente

Como já disse aqui no blog, uma embalagem mais caprichada valoriza o mais simples presente, ainda mais quando a ideia é - mais do que oferecer algo de valor a outra pessoa - mostrar o quanto o presenteado é especial, através de algo feito com tanto carinho.

Às vezes não temos tanto tempo para montar uma embalagem totalmente feita por nossas mãos, mas um pequeno toque pessoal - uma fita arrematada com uma flor, um pirulito em um presente de criança - humaniza e personaliza a embalagem industrializada.

Minha sugestão é para envolver um presente dado em uma data especial, seja aniversário de alguém ou de algo.

Pegue uma caixa de papelão, papel cartão, MDF (até uma caixa de bombom vazia serve!) que você tenha em casa e use aquele calendário do ano passado para forrar o lado de fora da caixa. Usei uma folha (um mês) para cada face da caixa. Fiz o acabamento dos cantos com papel adesivo, mas uma fita adesiva branca/colorida/estampada serve até melhor.

Como minha caixa tinha fechamento com quatro abas, forrei as abas de cima com papel adesivo também.

Com a folha do mês especial em questão, fiz uma espécie de cinta para colocar na abertura da caixa. Cortei o calendário do mês em tamanho um pouco menor que a parte de cima da caixa, fiz um furo em cada lateral e passei uma fita de cetim fina (no. 2) por trás.

Depois de colocar o presente dentro da caixa e fechar com fita adesiva, apliquei a cinta, passando a fita por baixo da caixa e arrematando com um laço em cima. O toque final é o alfinete marcando o dia especial.


Dependendo do tamanho do calendário disponível, pode-se forrar a caixa com papel de presente (com padronagem discreta) e centralizar o quadro do mês em cada face da caixa. Outra opção é criar um "papel de calendário", prendendo as folhas do calendário com fita adesiva na parte de trás - de forma mais arrumadinha ou sobrepondo as folhas - para formar uma folha de papel grande.

As possibilidades são muitas, a ideia é marcar aquela data especial, literalmente.

--------------------------------------

No meu caso, a data marcada na embalagem corresponde exatamente ao dia, mês e ano em questão.

Aproveite a ideia para dar um uso diferente às pilhas de calendários que costumamos receber no começo do ano, já pensando nas comemorações de 2011.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Bife a cavalo enrolado

Descobri (no site do Mais Você) um jeito muito diferente e gostoso de fazer bife a cavalo, que, ainda que seja mais "elaborado" que a receita original, ainda assim não dá trabalho nenhum de fazer.

Primeiro, bata alguns ovos com clara e gema - uma boa medida é colocar 1 ovo pequeno por bife a ser feito -, tempere com sal, pimenta do reino e orégano (ou outra erva de sua preferência) e faça uma omelete fina com a mistura. Para conseguir a espessura desejada, use uma frigideira de tamanho que dê para o líquido "espalhar" bem.

Tempere seus bifes como de costume. No meu caso, temperei bifes de coxão mole com sal, pimenta do reino, alho e molho inglês. Descarregue as tensões do dia agredindo os bifes com um batedor de carne, para eles ficarem finos.

Feito isso, enrole os bifes com uma tira de omelete e uma fatia de muçarela, prendendo os rolos com palitos de dente. Leve ao fogo com uma colherinha de manteiga ou óleo, deixando primeiro a panela tampada - para garantir que a carne não fique crua por dentro - e depois destapando a panela para a carne dourar. Nessa hora, alguns anéis de cebola podem comparecer para dourarem junto e dar sabor extra à carne.


Depois de os rolos prontos, o caldo que sobrou na panela pode virar um molho para guarnecer a carne se você acrescentar um trisco de água, uma colher de farinha de trigo e champignon fatiado. Uma variação é acrescentar um pouco de água e maionese ao caldo com a cebola, fica bem bom.

--------------------------------------------

A receita original é esta, mas as possibilidades de recheio e de outras variações são muitas. Descubra a sua preferida!

Guarnição é o alimento que acompanha ou enfeita um prato ou um drink, segundo o Wikipedia.

Gerar PDF da postagem

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...