verificador pinterest Casa, Coisas e Sabores: Fevereiro 2012

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Acompanhamento rápido: creme de milho


Sabe aquela compra do hortifruti da semana que você não fez? A geladeira vazia, despensa com grilos fazendo "cri-cri"? Se você está diante apenas do básico, essa receita vai salvar seu almoço/jantar. O creme de milho é um acompanhamento a jato no qual você aproveita a latinha de milho que eu sei que está aí em algum cantinho. A porção é para um e você aumenta do tamanho da família ou da fome. O gostinho é de comida caseira e a praticidade é muita. Em poucos minutos, e de um jeito bem gostoso, você acompanha sua carne (bovina, de frango, de porco...) e ninguém fica sozinho.

Creme de milho
(Porção para um)

1/2 colher de chá de cebola picada
1/2 colher de chá de manteiga
1 colher de café de erva-doce (grãos)
3 colheres de sopa de milho em lata
1/2 xícara de leite
1/2 colher de sopa de farinha de trigo

Amasse em um pilão (ou algo do tipo) duas colheres do milho e mantenha uma colher de grãos inteiros. Reserve. Em uma panela em fogo médio, doure a cebola na manteiga. Junte a erva-doce e deixe "fritar" uns segundos. Acrescente o milho (o amassado e o inteiro) e refogue um pouco. Em um copo, misture o leite e a farinha de trigo, e coloque essa mistura na panela. Mexa até formar um creme firme.


Se você gostou dessa postagem e achou o conteúdo relevante - portanto, que pode ser aproveitado por outras pessoas que estejam procurando sobre esse assunto -, mostre sua recomendação clicando no botão igual a este   localizado no final da postagem

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Parmentier de espinafre (espinafre com batata)


Já aprendemos AQUI a não fazer cara feia para o espinafre e vimos AQUI que não podemos duvidar de seu potencial. O parmentier de espinafre é um nome fresco para uma receita muito simples que leva espinafre e batata, e que vai agradar até os menos iniciados na verdurinha. Opção perfeita para prato único, mas, se você quiser, pode incluir um bife ou filé de frango no seu prato. Nada além disso, pois não carece. Vegetarianos: joguem-se no parmentier!

Parmentier de espinafre
(Rende três porções)

Recheio
Cerca de 4 xícaras de espinafre fresco
1 colher de sopa de manteiga
Água
2 colheres de sopa de iogurte natural (opcional)

Purê
2 batatas médias
1 colher de sopa de manteiga
1/2 xícara de leite
Pimenta do reino
Sal

Recheio: coloque água (o suficiente para cobrir o fundo) e a manteiga em uma panela e leve ao fogo. Quando a manteiga derreter, junte o espinafre. Refogue o espinafre até secar bem. Apague o fogo e junte o iogurte. Reserve.
Purê: cozinhe as batatas até ficarem bem macias e depois amasse. Junte todos os outros ingredientes à batata até formar um purê leve. Reserve.
Montagem: em uma travessa untada com manteiga, coloque metade do purê de batatas, espalhe o recheio de espinafre por cima e cubra com o purê restante. Leve ao forno em temperatura média por cerca de 30 minutos, até dourar.

Se você tiver um espremedor de batatas, pode cozinhá-las com casca e amassar com tudo, pois as cascas ficam retidas na "cestinha". Caso contrário, tire a casca antes de cozinhar. Se quiser, pode salpicar queijo ralado em cima antes de levar ao forno. Eu bem que queria, mas não tinha queijo.

Se você gostou dessa postagem e achou o conteúdo relevante - portanto, que pode ser aproveitado por outras pessoas que estejam procurando sobre esse assunto -, mostre sua recomendação clicando no botão igual a este   localizado no final da postagem


--------------------------------------------------------

A receita original é do livro Larousse da Cozinha Prática. Já falamos dele AQUI (veja também outras dicas para sua biblioteca de cozinha).

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Manjar branco com calda de ameixa da Lena


Não sei o motivo de nunca ter feito manjar branco. Esse doce tão tradicional é facílimo de fazer, leva ingredientes muito simples e só a calda de ameixa já faz valer a pena. Mas essa não é um receita qualquer, é uma receita infalível da Helena "mãos de fada" Gasparetto, que tem um blog delicioso e ensinou em detalhes como conseguir um manjar delicioso e no ponto certo, sem ficar molenga e sem ficar dura. O resultado é um manjar com calda de ameixa cremoso, mas que não faz feio na hora de desenformar.

A Lena aperece por aqui de novo e não é à toa. As receitas dela são ótimas e infalíveis. Fiz metade da receita e acrescentei o açúcar mascavo à calda. Também descobri que forminhas de silicone para muffins são ótimas para colocar o manjar em pequenas porções individuais. Fica ótimo para servir e desenforma que é uma facilidade. A calda de ameixa do manjar fica incrível e tem um toque que faz a diferença. Além de ser o complemento perfeito para o manjar branco, nada me tira da cabeça que ficaria uma coisa regando um bolo, cobrindo um sorvete...

Manjar branco com calda de ameixa da Lena
(Rende seis forminhas de muffins)

Calda
1 xícara de ameixas secas
1 e 1/2 xícara de água
1/4 de xícara de açúcar mascavo
1/4 de xícara de açúcar comum
1 colher de sopa de cachaça (ou rum)

Manjar
400 ml de leite
100 ml de leite de coco (1/2 garrafinha)
4 colheres de sopa de amido de milho (maisena)
3 e 1/2 colheres de sopa de açúcar

Calda: deixe as ameixas de molho na água por cerca de 1 hora. Leve as ameixas com a água ao fogo médio e deixe ferver por uns 10 minutos. Apague o fogo, retire as ameixas (reserve), junte o açúcar e a cachaça, e volte com o líquido ao fogo, por mais 5 minutos. Coloque as ameixas reservadas novamente na panela e deixe ferver, em fogo baixo, até a consistência desejada. Deixei bastante, até a calda ficar mais grossinha. Leve a calda para a geladeira em um pote tampado.
Manjar: dissolva o amido em 1/2 xícara dos 400 ml de leite. Leve o restante do leite mais o leite do coco, o açúcar e o próprio amido dissolvido ao fogo médio. Quando ferver - a esta altura deve estar um creme grosso -, abaixe o fogo e deixe por mais 5 minutos. Coloque o creme em forminhas de silicone (molhadas com água) e leve à geladeira, deixe firmar por cerca de 3-4 horas antes de desenformar.
Na hora de servir, desenforme o manjar e cubra com a calda de ameixas.

Se não tiver forminhas de silicone, você pode colocar o manjar em forma de pudim (vidro ou alumínio) ou em potinhos de vidros, para porções individuais. A forma deve ser molhada com água e, para desenformar, passe uma faquinha rente às laterais. Com forma de silicone, é só dar uns apertõezinhos, sai fácil!

Se você gostou dessa postagem e achou o conteúdo relevante - portanto, que pode ser aproveitado por outras pessoas que estejam procurando sobre esse assunto -, mostre sua recomendação clicando no botão igual a este   localizado no final da postagem


----------------------------------------------------------

A receita original da Helena é ESSA. Assim como a Lena recomendou, as medidas são em colheres-medida ou xícaras-medida, todas rasadas.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Sopa de frango assado verde-amarela


Essa sopa de "frango assado" é exatamente o que o nome diz: uma sopa de frango que ganha sabor especial com a ave assada, em vez de apenas cozida. Esse detalhe e alguns poucos ingredientes básicos deixam a sopa deliciosa. Você já deve imaginar que as sobras do galeto que você comprou para um almoço rápido do feriado de Carnaval é a matéria-prima para essa sopa. Apesar do clima nada ameno na maior parte do país, a sopa de frango assado não deixa de ser uma opção prática, leve, nutritiva e reconfortante para recuperar o corpo da folia. Sua mãe aprovaria, certeza.

Explico também um pequeno sumiço (que ocorre desde o começo do Carnaval): além de ser filha de Deus e aproveitar o feriado, emendarei com uma viagem que dura até meados da semana que vem. Não estarei muito presente nesses dias, mas as postagens ficarão programadas para os dias de sempre e tem muita coisa gostosa vindo por aí :-) Não deixem de comentar, curtir, retuitar, participar no Facebook e no Twitter...na volta eu coloco o papo em dia!

Sopa de frango assado verde-amarela

Sobras de galeto ou frango assado (separe a carne dos ossos)
1/2 xícara de milho em lata
1/2 xícara de ervilha congelada
1 xícara de macarrão ave-maria

Caldo-base
Ossos do galeto ou frango assado
3 folhas de louro
1 ramo de alecrim
1 colher de café de tomilho
1 colher de café de salsa fresca desidratada
3 dentes de alho inteiros (sem casca)
Sal a gosto
1 litro de água (aproximadamente)

Caldo-base: leve todos os ingredientes ao fogo médio e deixe o caldo apurar por cerca de 40 min. Após esse tempo, retire os ossos e as folhas com uma escumadeira. Amasse os dentes de alho e volte com o purê para a panela. Esse caldo de frango assado pode ser congelado para ser usado depois em sopas e risotos.

Junte ao caldo a carne de galeto / frango assado desfiada, o milho e a ervilha. Deixe apurar por cerca de 10 minutos. Coloque o macarrão e deixe até que este fique bem cozido, mexendo de vez em quando.

O tempero do caldo é uma sugestão, você pode utilizar as ervas que preferir ou as que estiverem mais à mão.

Se você gostou dessa postagem e achou o conteúdo relevante - portanto, que pode ser aproveitado por outras pessoas que estejam procurando sobre esse assunto -, mostre sua recomendação clicando no botão igual a este   localizado no final da postagem

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Rápido e fácil: cuscuz marroquino


Nesta segunda-feira de Carnaval, passo aqui rapidinho para deixar uma receita também rapidinha, para ninguém perder um segundo da folia (nem para comer!). O cuscuz marroquino fica pronto em 5 minutos - 5 minutos! -, não vai ao fogo nem nada e pode ser incrementando com alguma coisinha que estiver dando sopa pela geladeira. É coisa prática para se ter na despensa, pois salva nos momentos de aperto. Em alguns minutos você prepara seu almoço e volta rapidinho para a praia, para o bloco...

Cuscuz marroquino
(Rende três porções)

1 xícara de cuscuz
Sal
Pimenta do reino
Azeite
1 xícara de água fervente

Tempere o cuscuz (do jeito que você tirou da embalagem) com sal, pimenta do reino e azeite. Esses temperos são básicos, mas podem ser os da sua preferência (em vez de azeite, pode ser manteiga derretida). Junte a água fervente e abafe o cuscuz com a ajuda de uma tampa ou um prato. Espere 5 minutos. Junte ingredientes a seu gosto - queijo, azeitona, passas, rúcula, cenoura ralada, frango cozido etc - e pronto! Um "macarrão instantâneo" mais nutritivo e gostoso.

Para incrementar o cuscuz, coloquei tomate picado, cebola picada, suco e raspas de meio limão (usei o siciliano) e hortelã picada.



Em outra versão, aproveitei para juntar as sobras de beringela e abobrinha (bem) assadas no forno com cebola e alho.


Uma caixa desse cuscuz não é a coisa mais barata do mundo, pelo contrário, é até meio carinho. Mas, acredite, rende muito e vale a pena manter um desses na despensa.





Se você gostou dessa postagem e achou o conteúdo relevante - portanto, que pode ser aproveitado por outras pessoas que estejam procurando sobre esse assunto -, mostre sua recomendação clicando no botão igual a este   localizado no final da postagem


------------------------------------------------------

Tirei a receita do cuscuz básico do meu amado livro do Panelinha (AQUI). Acredito que no site também deva ter (site AQUI).

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Bolo de banana integral


De um modo geral, as bananas daqui estão virando sorvete (ESSE) ou bolo. Mas, para sair da mesmice, o bolo de banana integral reúne todo o sabor da banana - delicioso por si só - com os benefícios de ingredientes integrais, que, além de combinarem superbem com a fruta, ainda tornam o bolo uma opção muito saudável (e fácil) para o café da manhã ou o lanche. Sabe aquele bolo bem úmido, cheiroso, cheio de grãozinhos para mastigar? Ah, e quanto aos ovos, leva apenas uma clara, que é opcional. Não sei se ficou mais gostoso morninho, em temperatura ambiente ou gelado, responder isso é muito difícil para mim. Sugestão? Prove dos três jeitos e fique com sua própria dúvida :-)

Esse bolo não é daqueles que ficam fofinhos, fica úmido e macio, porque as bananas "pesam" um pouco na massa. Se suas bananas estiverem bem maduras, é a hora ideal para transformá-las em bolo, pois o sabor de banana vai ficar bem intenso. Por isso, é ótima opção quando você tem bananas pedindo para serem usadas. As bananas amassadas ajudam a dispensar os ovos e, ainda assim, pegar leve na gordura (óleo, manteiga). Usei a clara de ovo porque tinha uma dando sopa na geladeira, mas, acredite, também não faz falta.

Bolo de banana integral
(Rende uma forma de bolo inglês)

3 bananas amassadas
1/2 xícara de açúcar mascavo
1/2 xícara de açúcar comum
2 colheres de sopa de manteiga
1 xícara de farinha de trigo
1/2 xícara de farelo de trigo
2 colheres de sopa de aveia
1/2 xícara de leite
1/2 colher de sopa de fermento químico em pó (para bolo)
1 clara de ovo (opcional)

Em um recipiente, junte as bananas, os dois tipos de açúcar e a manteiga, e bata na batedeira ou à mão (como fiz) até formar um creme homogêneo. Acrescente a farinha de trigo, o farelo de trigo e a aveia, misture. Junte o leite e misture até ficar bem homogêneo. Coloque o fermento apenas misture, sem bater. Bata a clara de ovo em neve e agregue delicadamente à massa do bolo, em movimentos de baixo para cima. Coloque em uma forma de bolo inglês untada e enfarinhada, e leve ao forno (pré-aquecido) em temperatura média-baixa por cerca de 30 min.





Se você gostou dessa postagem e achou o conteúdo relevante - portanto, que pode ser aproveitado por outras pessoas que estejam procurando sobre esse assunto -, mostre sua recomendação clicando no botão igual a este   localizado no final da postagem

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Salada de espinafre cru


Não imaginava que seria tão difícil encontrar uma receita de salada com espinafre cru. Nesse calor, não queria refogar o maço de espinafre verdinho, preferia algo mais fresco e, buscando na internet e em livros, achei pouca coisa e nada que me agradasse para utilizar espinafre cru. Então, recorri a uma combinação simples e certeira para fazer uma salada fresca e cheia de sabor. O espinafre tem sabor marcante, mas utilizá-lo cru é saudável - pois preserva os nutrientes - e, acredite, pode ser delicioso. Assim, deixo minha contribuição para as futuras buscas por "salada de espinafre cru". O Popeye aprovaria :-)

Espinafre com ovos, na versão refogada, é um clássico. Aproveitei a dobradinha consagrada para suavizar o sabor do espinafre cru com outros ingredientes também marcantes, mas que, juntos, não "brigaram" entre si. Se você faz "nhé" para espinafre cru, está perdendo um montão de nutrientes e a chance de ter mais opções de colocar esse verdinho na mesa.

Salada de espinafre cru
(Rende duas porções)

2 xícaras de espinafre cru
1 ovo cozido em pedaços
8 tomates-cereja cortado ao meio (ou tomate comum picado)
1 colher de chá de alho frito
1 colher de sopa cheia de maionese

Com o espinafre limpo, pique as folhas grosseiramente com as mãos. Acrescente os outros ingredientes (todos frios) e misture. Faça a salada momentos antes de consumir, para manter o espinafre fresco e crocante. Uma dica é deixar tudo picado (menos o espinafre) e preparado separadamente, na hora de comer é só juntar e misturar os ingredientes.

Limpe bem o espinafre antes de usar. Retire folha a folha, lave as porções em água corrente, limpando as folhas com os dedos, e deixe-as de molho em água com produtos específicos para higienizar vegetais, ou com água sanitária (1 colher de sopa para cada litro de água - fonte AQUI). Essa salada não serve para guardar, pois o espinafre vai ficar encharcado.

Atualização: percebi pelos comentários que há uma "polêmica" em torno do consumo de espinafre cru. Pelo que encontrei, há uma linha de pesquisa científica que recomenda evitar totalmente o consumo de espinafre, não importando se é cru ou cozido. Não encontrei nada confiável de que o espinafre só ficaria seguro para o consumo se cozido. Como não é um consenso científico, deixo alguns links com informações sobre o assunto e fica a critério de cada um (outras informações confiáveis são bem-vindas):

http://www1.folha.uol.com.br/folha/comida/ult10005u374889.shtml
http://www.patriciafan.com/2009/07/mitos-e-verdades-sobre-o-espinafre.html
http://www.portalverde.com.br/alimentacao/perigos/espinafre.htm

Se você gostou dessa postagem e achou o conteúdo relevante - portanto, que pode ser aproveitado por outras pessoas que estejam procurando sobre esse assunto -, mostre sua recomendação clicando no botão igual a este   localizado no final da postagem

------------------------------------------------------

ESSE suflê também é uma opção deliciosa para consumir espinafre. Fica tão gostoso que é à prova de cara feia! Quer uma opção de prato especial que use espinafre? O murg saag (AQUI) é uma receita indiana bem temperada e exótica.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Massa básica de pizza







Apesar de gostar de fazer pão, nunca antes tinha me metido a fazer massa de pizza, pois achava que era mais complicado, demorado e trabalhoso. Claro que mais rápido que comprar uma massa pronta no supermercado não há, e até então era essa minha escolha. Até então, porque agora sei o que estou perdendo. Ganha-se praticidade - coisa muito bem-vinda por aqui -, mas perde-se a chance de apreciar uma massa de pizza extremamente saborosa, que por si só já está valendo. E quer saber? Foi mais fácil do que pensei e o resultado é uma massa de pizza fresca, perfumada e deliciosa. A receita é basicamente farinha de trigo, água e azeite: mais tradicional, impossível.

No final das contas, a preguiça que tinha de fazer massa de pizza não fez sentido nenhum, pois, como só tem um descanso, fica mais rápido de fazer do que pão - coisa que vira e mexe sai da minha cozinha.  Acho que a questão é que a maioria considera pizza como fast-food, algo que se come quando quer algo rápido. Estou incluída nisso. Considerar a pizza um prato como outro, para se apreciar o sabor, que pode ser caprichado, é outro nível. Nesse outro patamar, uma boa massa é fundamental.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Sorvete fácil de amoras (ou do que quiser)


Hoje é sexta-feira. Com essa premissa em mente, vamos deixar de lado os sorvetes só de frutas e os sorbet e nos jogar em uma delícia cremosa e gelada. Essa também é a última postagem da ação "O verão carioca pede sobremesas geladas", uma iniciativa entre vários blogs de gastronomia do Rio de Janeiro, e encerra o especial de gelados da semana. O sorvete fácil de amoras não tem esse nome à toa: leva poucos ingredientes, todos são itens que você tem em casa - amora não é algo tão comum, mas você pode substituir a fruta -, o preparo é muito rápido, não precisa de sorveteira para fazer e o resultado fica tão cremoso que dá para fazer bolas. É sorvete fácil de amoras, mas podia ser sorvete prático, sorvete rápido, sorvete molezinha...


O único passo prévio da receita é colocar as amoras para congelar algumas horas antes, pois elas precisam estar geladíssimas. Não recomendo deixar muito tempo no congelador, até virar pedrinhas, pois isso pode dificultar na hora de bater. Nesse caso, deixe as frutas descongelarem levemente antes de usar. Sabe aquela frutinha que você congelou para não estragar e poder usar depois? Morango, framboesa, manga, cereja, uva, pêssego, goiaba...essa é a hora!

Sorvete fácil de amoras
(Rende duas porções bem servidas)

1 xícara de amoras congeladas
1 caixa de creme de leite (frio)
1 colher de sopa cheia de manteiga derretida (fria)
1/2 xícara de açúcar

No liquidificador ou com um mixer (como fiz), bata o creme de leite e, sem parar de bater, vá adicionando a manteiga derretida aos poucos, em fio (como se coloca o óleo para fazer maionese caseira). Você obterá um creme de leite mais aerado e encorpado. Acrescente as amoras e o açúcar, bata até ficar homogêneo. Coloque em um recipiente tampado e leve ao congelador ou freezer até endurecer.

Atualização: notei que, depois de um tempo, o sorvete ficou amargando um pouco. Não sei se foi por causa do tipo das amoras, se eu deveria ter aferventado as frutas antes com açúcar (como se faz com abacaxi) ou se foi outro motivo. Não tenho costume de comprar amoras, alguém sabe dizer se elas (ou algumas delas) amargam?

Confira AQUI todas as receitas da ação "O verão carioca pede sobremesas geladas".

Veja também as outras receitas geladas dessa semana:

Sorvete napolitano de banana (AQUI) - "Com a receita do sorvete de banana como base, o acréscimo de alguns ingredientes e uma 'técnica' para montar as camadas, você agrada a gregos e troianos".

Festival de picolé caseiro (AQUI) - "Sugiro duas versões mais adultas, com sabor mais complexo, de picolé-sorbet (de melancia e de kiwi) e outra versão de picolé com sabor de infância, mas repaginado (de mocha cappuccino)".


Se você gostou dessa postagem e achou o conteúdo relevante - portanto, que pode ser aproveitado por outras pessoas que estejam procurando sobre esse assunto -, mostre sua recomendação clicando no botão igual a este   localizado no final da postagem


----------------------------------------------------------

Quer mais receitas de sorvetes, sorbet e outras delícias geladas? Indico o livro "500 Sorvetes e Sorbets" (veja AQUI). Não tenho esse livro, mas já folheei na livraria e vi que tem muita receita boa. A vontade de levar foi grande, mas, se eu não me policiar, os livros tomam a casa e eu terei de me mudar :-)

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Festival de picolé caseiro




O especial de receitas geladas continua com um clássico infanto-juvenil-adulto: picolé caseiro. Bater frutas com leite (ou não) e depois levar ao congelador, quem nunca? Minha mãe fazia muito quando eu era criança, inclusive ela chegou a vender picolés, com uma receita mais "profissa". Eu adorava. Sugiro duas versões mais adultas, com sabor mais complexo, de picolé-sorbet (de melancia e de kiwi) e outra versão de picolé com sabor de infância, mas repaginado (de mocha cappuccino). Essa postagem faz parte da ação "O verão carioca pede sobremesas geladas", uma iniciativa entre vários blogs de gastronomia do Rio de Janeiro.

Utilizei uma forma de silicone para bolinhos para colocar os picolés. Deu muito certo, pois fica muito fácil para retirá-los depois de prontos. Fica a dica. Se você tiver, pode e deve usar as formas próprias para picolés. Não tem forma de picolé nem de silicone? Coloque em copos descartáveis de plástico, é prático e simples, e o copinho ainda serve para aparar os respingos :-) Os palitos devem ser colocados depois que o picolé já estiver um pouco endurecido, depois de 1 ou 2 horas de congelador, para que eles fiquem no lugar. Depois, é só deixar terminar de endurecer e aproveitar esse "refresco" para os dias de calor.

Picolé-sorbet picante de melancia

Cerca de 500 g de melancia
1/2 xícara de hortelã fresca
Suco de 1/2 limão siciliano
1 colher de café de geleia de pimenta

Retire a casca e as sementes (retirei só as mais superficiais) da melancia e bata a fruta com os outros ingredientes no liquidificador. Não precisa colocar água nem adoçar. Coloque nas formas e leve ao congelador. Depois de um tempo, coloque os palitos e deixe terminar de congelar.

Você também pode usar pimenta (dedo-de-moça) fresca, recomendo apenas uma rodelinha, pois o picante deve ficar bem de leve. De qualquer forma, coloque sempre menos, experimente e decida se coloca mais pimenta ou não. Se não gostar do picante, retire esse item da receita, também fica bem bom.

Benefícios: a melancia tem poucas calorias, é rica em sais minerais, vitaminas (A, C e complexo B) e licopeno. A pimenta ajuda a emagrecer e protege o coração, entre outros.

Picolé-sorbet de kiwi e erva-doce

3 kiwis sem casca e picados
1/2 colher de chá de erva-doce (grãos)
3 colheres de sopa de açúcar

Bata todos os ingredientes no liquidificador. Coloque um "tiquinho" de água, só para ajudar a bater. Coloque nas formas e leve ao congelador. Depois de um tempo, coloque os palitos e deixe terminar de congelar.

O picolé ressalta o azedinho do kiwi e a erva-doce dá um toque bem refrescante. Tenho para mim que ficaria uma delícia em um caipilé. É só fazer uma caipirinha (acho que de morango combinaria bem) e finalizar a bebida com o picolé mergulhado no copo.

Benefícios: o kiwi é rico em vitamina C e fibras, já a erva-doce ajuda na digestão e em regular a pressão arterial.

Picolé de mocha cappuccino

2 xícaras de leite
2 colheres de sopa cheias de leite em pó
1 colher de café de café solúvel
2 colheres de sopa de chocolate em pó (ou achocolatado)
2 colheres de sopa de açúcar

Bata tudo no liquidificador. Coloque nas formas e leve ao congelador. Depois de um tempo, coloque os palitos e deixe terminar de congelar.

Esse picolé é daqueles que a mãe da gente fazia quando éramos crianças: simples e rápido. Daqueles que a gente chupa até sobrar aquele final de gelo, que garante o refresco final. A mistura do café com chocolate é deliciosa. Nesse calor, meu café da manhã pode ser esse, rs.

Benefícios: a gente fica mais feliz, rs. O leite tem todas as propriedades que a gente já sabe e esse picolé tem muito menos gordura que um sorvete industrializado. É uma opção bem melhor para as crianças (de todas as idades).

Usar copos descartáveis como forma é simples e prático
Atualização em 10/02/12 - Vi a ideia dos copinhos no blog Gourmet e Gourmand (AQUI), da prendada Queila, que espertamente serviu assim os picolés na festinha do filho. Não que a ideia - muito boa - seja inédita, mas aproveito a deixa para indicar esse ótimo blog.

Confira AQUI as receitas dos outros blogs na ação "O verão carioca pede sobremesas geladas".


Se você gostou dessa postagem e achou o conteúdo relevante - portanto, que pode ser aproveitado por outras pessoas que estejam procurando sobre esse assunto -, mostre sua recomendação clicando no botão igual a este   localizado no final da postagem

--------------------------------------------------

O picolé-sorbet de melancia foi feito com a receita de um suco publicado na revista Máxima - edição 21.

Confira as fontes e saiba mais sobre os benefícios da melancia (AQUI), da pimenta (AQUI), do kiwi (AQUI) e da erva-doce (AQUI).

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Sorvete napolitano de banana


Lembra quando eu falei que o sorvete de banana (feito só de banana) permitia algumas variações? Para participar da ação "O verão carioca pede sobremesas geladas", uma iniciativa entre vários blogs de gastronomia do Rio de Janeiro, resolvi inventar em cima desse amado sorvete, que anda fazendo o maior sucesso por aí. Sabe quando cada um quer um sabor de sorvete diferente? O sorvete napolitano sempre resolve! Com a receita do sorvete de banana como base, o acréscimo de alguns ingredientes e uma "técnica" para montar as camadas, você agrada a gregos e troianos. E, principalmente, aos cariocas! O verão pede, implora, uns geladinhos.



Aproveitando a ação dos blogs de gastronomia e já que o calor não está de brincadeira - principalmente no RJ -, inauguro com o sorvete napolitano de banana um especial de receitas geladas. Durante toda a semana vou postar receitas geladinhas e fáceis. E tudo sem sorveteira (que não tenho), só no talento e no congelador. Está calor? Fique de olho que o Casa, Coisas e Sabores vai te refrescar :-)

Sorvete napolitano de banana

1 receita do sorvete de banana (veja AQUI)
Matinal em pó sabor morango a gosto (usei o Nesquik)
Achocolatado em pó a gosto (usei Ovomaltine)

Para fazer os sorvetes, não tem mistério: prepare a receita do sorvete de banana como recomendado, sem as passas, e, antes de levar ao congelador/freezer no pote para endurecer, separe a "massa" em três partes iguais. Em uma parte, misture o achocolatado. Em um pote encostado de forma bem inclinada, coloque esse sorvete de banana sabor chocolate e leve ao congelador na mesma posição. Pegue outra parte do sorvete de banana e misture o pó sabor morango, retire o pote do congelador - ainda inclinado - e acomode o sorvete de banana sabor morango às colheradas, para formar uma camada bem ao lado do sorvete de chocolate. Leve novamente o pote ao congelador, ainda inclinado. Depois de poucos minutos, retire o pote do congelador e acomode a terceira porção do sorvete de banana - que não recebeu nada a mais. Agora você já pode voltar o pote ao congelador na posição horizontal, normal. Deixe firmar por algumas horas antes de consumir.

No lugar do pó sabor morango, você pode bater morangos (fruta) junto com a banana. A "técnica" que ensinei para conseguir as camadas de sorvete lado a lado pode ser meio mané, mas deu certo, rs. Se alguém tiver uma solução mais "profissa", favor compartilhar nos comentários. Deixo a foto de como o pote deve ficar ao receber as duas primeiras camadas de sorvete:



A próxima postagem virá tão gelada quanto essa! A melhor parte desse especial é que terei que consumir sobremesas geladinhas, refrescantes e gostosas ao longo dessa semana, justo nesse calor insano. Faço o sacrifício :-)

Confira AQUI as receitas dos outros blogs na ação "O verão carioca pede sobremesas geladas".

------------------------------------------------------

O sorvete de banana (feito só de banana) fez o maior sucesso com o pessoal que tem intolerância à lactose! Eu não sabia, mas a Monalisa - do ótimo O Diário de Receitas Sem Lactose - me contou que uma dificuldade para quem não pode consumir leite é encontrar um sorvete cremoso que seja adequado a essa dieta. A receita desse sorvete já rola há tempos pela internet, não e mérito meu, mas fico bem feliz de ter sido a fonte para alguém conseguir desfrutar de um prazer aparentemente tão simples: tomar um sorvete cremoso :-)

Foto: Monalisa - O Diário de Receitas Sem Lactose
Não ficou lindo o sorvete da Monalisa? Confira AQUI como ela fez e um cuidado que é preciso ter (já até atualizei a receita do sorvete com essa recomendação).

Foto: Heloise Finkler
A Heloise, leitora da Monalisa, viu a recomendação do sorvete no Facebook e correu para experimentar. Ficou nota 10!

Se você gostou dessa postagem e achou o conteúdo relevante - portanto, que pode ser aproveitado por outras pessoas que estejam procurando sobre esse assunto -, mostre sua recomendação clicando no botão igual a este   localizado no final da postagem

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Creme com uvas na calda de vinho


Procurando uma receita para usar as uvas que ninguém gosta de comer aqui em casa, encontrei uma opção fácil, embora seja em etapas, e especial, mesmo levando ingredientes tão simples. O toque (de gênio) fica por conta da calda de vinho, que volta às origens em sua combinação com uva - como não combinaria? - e que faz par com um creme levíssimo de baunilha, mais neutro e que não briga com o sabor marcante da calda. Faço um alerta e um convite: quer um doce bem docinho e abre uma exceção na dieta? Vem comigo. Mas tem frutinha, então pode.

Fiz algumas alterações na receita (e a novidade?), economizando a gordura do creme de leite que eu não utilizei e reduzindo a quantidade de gemas. Gostei do jeito que ficou, mas, se quiser um doce menos doce, reduza a quantidade de açúcar do creme, pois a uva na calda já é bem docinha.

Creme com uvas na calda de vinho
(Rende duas porções bem servidas)

Creme
1 gema
1/3 de xícara de açúcar
2 colheres de sopa rasas de amido de milho (maisena)
250 ml de leite fervendo
5 gotas de essência de baunilha
1/2 colher de sopa de manteiga

Uvas na calda
1 xícara de uvas sem sementes e cortadas ao meio
1/2 xícara de açúcar
1/2 xícara de vinho tinto
Pimenta-rosa (opcional, usei 6 grãos)

Creme: bata a gema e o açúcar até formar um creme homogêneo e claro. Acrescente o amido de milho e misture. Vá juntando o leite fervendo, aos poucos, e misturando (um fouet ajuda muito nessa hora). Leve ao fogo baixo, mexendo sempre, até engrossar. Apague o fogo e junte a baunilha e a manteiga, misture. Reserve.
Uvas na calda: leve ao fogo médio o açúcar e o vinho, até o primeiro dissolver. Junte as uvas e deixe cozinhar por uns 5 minutos. Apague o fogo, retire as uvas (reserve-as) e volte a panela ao fogão, em fogo baixo, até a calda de vinho engrossar em ponto de fio fraco (se você derramar a calda com a colher, forma-se um fio de consistência mais rala). Desligue o fogo e deixe a calda esfriar (ajuda se você transferir a calda para outro recipiente) com os grãos de pimenta-rosa. Depois de a calda fria, retire os grãos de pimenta - que podem ser usados depois na decoração - e coloque as uvas reservadas novamente dentro da calda.
Montagem: quando o creme e as uvas na calda estiverem frios, coloque em potes individuais ou em um recipiente grande uma camada do creme, outra das uvas na calda por cima, e assim por diante. Termine com as uvas em calda e leve a geladeira por algumas horas, para servir bem gelado.




Se você gostou dessa postagem e achou o conteúdo relevante - portanto, que pode ser aproveitado por outras pessoas que estejam procurando sobre esse assunto -, mostre sua recomendação clicando no botão igual a este   localizado no final da postagem


-----------------------------------------------------

A receita original é o Creme leve de baunilha com uvas em calda e foi retirada do livreto "Sobremesas" da coleção União.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Bolo salgado integral


Fácil de preparar como um bolo e que satisfaz como um pão. O bolo salgado integral leva ingredientes bem simples e os itens integrais que vão enriquecê-lo podem variar de acordo com o que estiver à disposição. Fofinho e amanteigado, recém-saído do forno é irresistível. Depois de frio, as fatias tostadas com um naco de manteiga trazem de volta a mesma sensação. O bolo salgado integral vai te salvar quando, na noite do dia anterior, você perceber que não tem um pãozinho, uma torrada sequer para o café da manhã do dia seguinte. Adoramos pão caseiro, fato, mas nada como a praticidade de "bater um bolinho". É muita fibra, minha gente.

Bolo salgado integral
(Rende uma forma de bolo inglês)

1 ovo
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de sopa de azeite
1/2 colher de sopa de açúcar
1 xícara de farinha de trigo comum
1/2 xícara de farelo de trigo
2 colheres de sopa de linhaça (grãos)
2 colheres de sopa de aveia
1 colher de café de sal
1 pitada de noz moscada
3/4 de xícara de leite
1/2 colher de sopa de fermento químico (para bolo)

À mão (como fiz) ou na batedeira, bata bem o ovo, a manteiga, o azeite e o açúcar, até ficar bem misturado. Acrescente a farinha de trigo, o farelo de trigo, a linhaça, a aveia, o sal e a noz moscada, misture bem. Junte o leite e misture até ficar bem homogêneo. Acrescente o fermento, apenas misture e coloque em uma forma untada e enfarinhada. Leve a forno (pré-aquecido) a 180º C por cerca de 30 min. Após não menos que 20 min de forno, faça o teste do palito (após espetado no bolo, ele deve sair seco) para ver quando estiver assado.

O bolo saiu baixinho, já que a quantidade de massa é pouca e ele não cresce muito, é um bolo pesado. Para uma forma de bolo inglês bem cheia e rechonchuda, dobre a receita. No lugar da noz moscada, podem entrar orégano, manjericão, pimenta do reino, qualquer temperinho que dê sabor (embora a noz moscada combine bem com os cereais). Com o farelo de trigo ou farinha de trigo integral como base, você pode colocar o cereal que tiver e quiser: centeio, linhaça dourada, quinoa, gérmen de trigo etc. Faça a combinação que desejar, prestando atenção na consistência da massa: nem dura como uma massa de pão, mas sem deixar ficar líquida demais.

Em um ataque de nostalgia das torradas Petrópolis (veja AQUI), cortei umas fatias do bolo salgado integral, passei manteiga dos dois lados e levei ao grill (pode ser à frigideira). O que já era bom sem nada fica melhor ainda tostado.




Se você gostou dessa postagem e achou o conteúdo relevante - portanto, que pode ser aproveitado por outras pessoas que estejam procurando sobre esse assunto -, mostre sua recomendação clicando no botão igual a este   localizado no final da postagem


--------------------------------------------------

As versões integrais dos alimentos - fontes de fibras - são opção recomendada não apenas para diabéticos ou para controle do colesterol, por exemplo, mas para qualquer um que queira deixar a saúde em dia, ter pele e cabelos mais bonitos (sabe do que eu tô falando, né?), e emagrecer. Conheça AQUI os benefícios das fibras na alimentação.

Gerar PDF da postagem

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...