verificador pinterest Casa, Coisas e Sabores: Blogagem coletiva: melhor idade

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Blogagem coletiva: melhor idade

Este mês, a proposta das organizadoras da Blogagem Coletiva Fases da Vida era falar sobre a melhor idade - ou terceira idade, maturidade, os nomes são vários. Juntando a culinária ao tema, logo pensei que pelo menos a maioria de nós tem verdadeira paixão pela "comida de vó".

E o que é a comida de vó? Geralmente é aquele prato bem tradicional, muitas vezes arraigado à cultura culinária do país - seja o Brasil ou outros de onde vieram nossos antepassados. Em comum, tudo muito caseiro, sem finesses gastronômicas. Comida de forno e fogão, sem preocupação de ser diet, light ou orgânico. Até porque o orgânico geralmente era a regra, e não a exceção.

Justiça seja feita: eram também os pratos feitos com banha de porco, algo bastante em desuso porque - martelam em nossos ouvidos todos os dias - é gordura saturada direto para as artérias. Não duvido disso. Para ilustrar essa postagem, lanço mão do livro Comer Bem - mais conhecido como "o livro da Dona Benta", a avó mais emblemática da literatura brasileira - e reproduzo na íntegra uma receita que acho bem "da roça".

Paçoca de carne seca
(Comer Bem, 2004, p. 485)

500 g de carne seca
Farinha de mandioca ou de milho
Óleo para fritura

"Tome um pedaço de carne seca magra, afervente-a e corte-a em pedaços pequenos. Frite em óleo bem quente. Misture-lhe farinha de mandioca ou de milho e, em seguida, soque tudo muito bem num pilão"

Estou mais para um processador do que para um pilão, mas já comi pacoça socada feitas e vendidas por avós que não eram as minhas.

Paçocas à parte, várias vovós de hoje não fazem mais o estilo das avós de antigamente: muitas ainda trabalham, pois construíram uma carreira profissional, passeiam, namoram e em nada lembram as mulheres a melhor idade de antigamente que viviam para a casa e a cozinha. Mas elas ainda entram nesse cômodo da casa, mas por prazer, porque ainda sabem que cozinhar é um jeito de dizer que se ama. Ainda passando a carne no processador.

---------------------------------------

Para conferir as outras participações da BCFV, visite os blogs Publicar para Partilhar, Na Cozinha ou Espiritual-idade.

Outra receita que lembra comida de vó é a polenta, como ESSA com molho de frango.

18 comentários:

  1. Adri, que saudade brotou quando eu vi o livro da Dona Benta. Minha vó o tinha e acabou ficando para minha tia, pois o marido dela comprou a casa com tudo dentro. Ai! Que saudades de tudo aquilo!Fique com Deus e tenha uma feliz e abençoada semana!

    ResponderExcluir
  2. Adri adorei seu post, me fez recordar os bons tempos ao lado de vovó, ela fazia bolos na mão, debulhava milho, e fazia o melhor bolo de milho que já comi em minha vida. Que saudades me deu, esse post trouxe lindas recordações. Muito bem elaborado, belas lembranças amiga. Tenha uma excelente semana...bjocas

    ResponderExcluir
  3. Olá, amiga
    Desejo-lhe que a encontre neste mês assim:

    "...um amanhecer colhido na luz do teu olhar,
    orvalhado de emoções vividas". (Meliss)

    Querida, vc me recordou algo tão lindo: comidinha de "vó Celina"...
    O doce de mamão e o de cajá nas compoteiras da arca na sala de jantar... Ai, meu Deus!!!
    Quanta saudade!!!
    Ela cortava o cajá e ficava em forma de estrelinhas... hoje em dia a filha mais nova dela (minha tia) o faz...
    Que post encantador... a vida era saudável... e vc frisou a verdade... era tudo naturalmente orgânico... Beleza pura e disso eu me recordo!!! Muito coerente o seu post com o Tema do seu Blog... Legal!!!

    No dia 22, tem festa no meu blog que fará 2 anos... vou esperar vc, com muito carinho...
    A nossa Blogagem Coletiva é: O QUE É ESPIRITUALIDADE PARA MIM???
    Participe como puder... seja muito bem vinda!!!

    Mesmo que uma lágrima brote como o orvalho em nossa face nesse momento...
    Confiemos que Deus tem toda a proteção da nossa vida...
    Espero vc no próximo mês...
    Bjs de paz
    http://espiritual-idade.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Como meu blog é de culinária, também fiquei pensando o que publicar para relacionar à temática. Nessa busca, me deparei com a questão dos orgânicos (o lado bom das receitas antigas), mas como eram doces(o lado ruim)!!!
    Não havia preocupação alguma com o excesso de açúcar ou de gordura. Ainda bem que havia o equilíbrio do não uso de agrotóxicos!
    Comidinha de vó nos traz muitas lembranças boas e, volta e meia, divago com os posts que me transportam para algum lugar do passado.
    Apesar de conhecer essa paçoca de carne seca, nunca fiz ou comi. Nunca foi nosso costume.
    Ainda bem que temos boas lembranças, não é?
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Adri, eu não tive o prazer de comer as comidinhas de minhas avózinhas.Mas tenho certeza que a minha mãe faz igual que elas...Um ótimo feijão com banha...hummmm delicia, pastelão de carne moída e bolinho de batata.Minha irmã está grávida agora e sempre pede para fazer o mesmo feijão da mãe(ela mora no interior).Ela diz que é igual!!Paz e bem

    ResponderExcluir
  6. Mais que amor, sua inspiração saiu do coração, tanto carinho. Falar da comidinha da vovó, super original. Nota dezzzz. Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Adri, q post lindo!! Me deu uma saudade do tamanho do mundo das minhas avos, que já se foram e eram, para mim, as melhores cozinheiras do mundo.
    Eu tive este livro, mas dei para a minha Irma quando ela se casou sem saber fritar um ovo. Rss. Hoje, ela cozinha melhor que eu!
    Tenha uma linda semana.

    ResponderExcluir
  8. comida de vó é bom demais!linda sua postagem! quando puder da uma espiadinha na minha participação:

    http://anacristinap.blogspot.com/2011/08/blogagem-coletiva-fases-da-vida-melhor.html

    bjo brigadu

    ResponderExcluir
  9. Adri esse livro é ótimo! Eu tb tenho e uso bastante!! Receitas simples e deliciosas!!! Comida de vó é tudo e a minha cozinhava muito bem...cada delicia!! Pena que ela não está mais aqui, então fica só a saudade...!! Lindo post!! Beijooos

    ResponderExcluir
  10. Meninas, a blogagem - como sempre - foi um sucesso! Obrigada por virem conferir minha participação :-) Não tenho mais minhas avós. Como minha mãe já é avó, é dela minha referência dessas comidinhas caseiras, gostosas. Para mim, esse livro da Dona Benta é um livro de história da culinária (a primeira edição dele é da década de 40!), do Brasil e de seu povo. Cozinho pouco com ele, mas adoro folhear as receitas :-)
    Beijinhos a todas!

    ResponderExcluir
  11. Pois é! Bem lembrado, esta 6ªfase tem tudo a ver com culinária, resultando no tempero que só vóvó sabe fazer. Tempero com arte, de mão experiente! Daquela vóvó que já faz tudo a olho, não segue receita nem medidas, não sabe dar receita, e lá se perde a receita de familia se você não tem hábito de acompanhar sua vóvó na cozinha!
    Adorei seu tema :)
    Beijinhos.
    Rute

    ResponderExcluir
  12. Adri, que "melhor idade" gostosa a sua. Tem até paçoca de carne seca. Você falou de uma coisa inovadora mesmo, as vovós de hoje não são mais como as de antigamente, também com essa tal de internet!

    ResponderExcluir
  13. Vim só avisar que a BCFV ainda não terminou, hein!
    Temos já mais um post de abertura de nova fase (SET) publicado.
    Beijinhos,
    Rute

    ResponderExcluir
  14. Rute, esse tema surgiu logo na cabeça para essa blogagem. Não tem como não associar a melhor idade com essas comidinhas de avó. É uma memória afetiva presente para muita gente :-) Já estou pensando na próxima fase, conte comigo! Beijo!

    Virgínia, faz anos que não como essa paçoca, me deu muita saudade, rs. Essa tal de internet mudou tudo, né? Até as vovós :-) Um beijo!

    ResponderExcluir
  15. Olá, Adri!Finalmente cheguei aqui e ainda bem!Pensar numa comidinha caseira é ligar directo às nossas vovós!A minha era uma óptima cozinheira, tudo muito simples, mas temperado com amor. Ainda tenho saudades de alguns bolinhos que ela fazia e não me atrevo a reproduzir, ela fazia meio a olho e saía tão bom!Gostei muito do teu texto!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  16. Demorei, mas cheguei até aqui !!!

    E v. me fez lembrar da comida deliciosamente simples da minha avó, que tinha um gosto nunca mais experimentado...

    O livro da D. Benta era da minha mãe, e muitas vezes, jovem ainda, fui nele procurar receitas.

    Dizem que avó que se preza, é boa cozinheira !
    Quem ainda não é avó, não perca a esperança, pois eu mal sabia cozinhar quando casei e hoje recebo constantes elogios !

    Outros, desde jovem, já sabem fazer delícias, como é o seu caso, não é, menina ?

    Beijo

    ResponderExcluir
  17. Lina, minha lembrança de comida de avó é de comida simples, muita (para os filhos e a netarada) e gostosa. Também não me atreveria a reproduzir nada, pois as lembranças fazem parte do tempero :-) Beijos!

    Flora, chegou mais que em tempo! De alguma forma, o livro da Dona Benta passou pelas mãos de quase todas, rs, engraçado perceber isso. Obrigada pelo elogio :-) Cozinhar é amor, que pode começar mais cedo ou mais tarde, não é verdade? Beijos :-)

    ResponderExcluir

O que achou da postagem? Tem mais alguma dica para passar? Ficou com dúvidas? O espaço dos comentários está aberto para todos trocarem uma ideia :)

Gerar PDF da postagem

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...